5.06.2008

Se...

Deixa-me contar-te baixinho ao ouvido aquelas historias que só eu sei, deixa-me contar-te as aventuras que só eu vivi, deixa-me mostrar-te aquele sonho só meu, onde eu amei como só eu amo, como se esse amor de que te falo fosse o meu amor, único e de mais ninguém. Sem mágoas nem rancores, sem pudores nem subterfúgios, deixa-me mostra-te a magia que existe num simples cruzar de dedos, o sentimento que acontece dentro de quatro paredes e que transcende o quarto e a casa, o bairro e a cidade.
Deixa-me ser eu nessa verdade de não saber ao certo quem sou. Deixa-me acontecer na tragicómica encenação de todos esse que eu fui.
E se um dia eu puder ser tudo isso no silêncio dos teus braços, tu serás um rio nascendo e fluindo dentro de mim.

5 comments:

Jus d'espoir said...

Tu és um rio de sentimentos que lentamente desagua num oceano emoções e este teu texto parece ser uma pequena parte do teu leito...

MirMorena said...

"...se um dia eu puder ser tudo isso no silêncio dos teus braços, tu serás um rio nascendo e fluindo dentro de mim..."

Simplesmente maravilhoso
Sua sensibilidade é contagiante

Seja Feliz

Dalaila said...

não tenho duvida que se é, se todas estas palavras formarem ese mundo

Brain said...

PLENO!
Fantástico!

Abraço.

Anonymous said...

Fantastico!