12.10.2007

E se falo de...

E eu, que sonhava conhecer o mundo inteiro, deixo-me ficar esquecido no conforto de não ter que sair daqui…
E se falo de mar, falo da ponta dos teus dedos,
Se falo de azul renego os fantasmas na memoria dos nossos desejos.
Eu, que não me recordo de ter tido nada, comove-me, que na tua fantasia um dia tenha sido teu e que tenhas, enfim, existido por nós. Desvario!
Mas se falo de verde é só porque o brilho dos teus olhos me assombra.
A noite chega outra vez…fria…cruelmente igual a todas as outras, espreitando-me pela janela, certa de que eu repetirei os mesmos gestos!
E se falo de ti é só para fugir de mim, do que eu tenho, do que eu sou.
Vou desfiando soluços nessa ambígua imagem que te ofereci, algures entre os restos do que um dia fui!..

foto from olhares.com

7 comments:

Putty Cat said...

Olá Paulo

Nem sei o que te dizer...

Palavra que não...

E...

Limito-me a deixar o meu beijo, de passagem, e em surdina.

beijo

Anonymous said...

Olá, a tua escrita tem evoluido muito desde sempre. Está mais envolvente mas sobretudo mais madura e cheia de conteudo poetico...
Isso é notório neste texto que está particularmente bem conseguido.
Parabens e continua!

Miguel

ContorNUS said...

Gostei de aqui âncorar os sentidos ...de te ler...

voltarei

Dalaila said...

Paulo,

é mesmo um prazer ler-te,
quanto mais percooro as tuas letras,
mais as sinto bem dentro,

parabéns

e é de emoções que falo.

Putty Cat said...

Agora podes encontrar-me aqui:

http://oladobdalua.blogspot.com/

Beijo

Brain said...

Sem palavras,

A não ser: Muito MUITO BOM!

Abraço.

Zé Carlos said...

Ola Paulo, mais um belo texto. Hoje, aproveito para desejar-te um Santo e Feliz Natal, e que o Ano de 2008 traga tudo aquilo que este ano de 2007 se esqueceu de trazer. Um Grd Abraço. Boas Festas.